Visto americano para autônomos: nossa experiência

US-Visa

A gente sabe que existem milhares de relatos por aí sobre a emissão do visto americano. Alguns bem sucedidos, outros nem tanto. A verdade é que cada caso é um caso, mas resolvi compartilhar a minha experiência porque não encontrei nenhum relato que me ajudasse quando eu resolvi fazer o meu visto americano, sendo profissional autônoma.

A verdade é que, como moradora de Porto Alegre, protelei por muito tempo a viagem para fazer o visto. Acabava sempre planejando viagens para a Europa e América Latina por medo de investir no visto americano e ter uma resposta negativa. Mas eis que me vi na seguinte situação:

– Meu único visto americano foi emitido em 1993. Logo, estava vencido e sem possibilidade de renovação. Teria que fazer um novo.

– Quero muito ir a um evento em Los Angeles em maio. Quero tanto que aproveitei uma promoção e já comprei passagem, o ingresso do evento e inclusive um ingresso pro show da Rihanna em Las Vegas. Ou seja, a aposta foi alta.

– Por outro lado, desde o final de 2014 não sou mais empregada em uma empresa. Resolvi seguir a trilha autônoma, que é ótima, mas não tinha nenhum contracheque para mostrar no consulado americano na hora de comprovar renda.

– Somando todos esses fatores, reitero: eu estava com muito, muito, muito medo de ter o visto negado.

Mas ao invés de ficar chorando em posição fetal com medo de ficar sem visto, resolvi ir atrás. Como mencionei anteriormente, não encontrei relatos sobre vistos para profissionais liberais, então  fiz tudo certinho pra chegar no consulado com a documentação correta e não correr nenhum risco. O que eu fiz foi:

Passo 1 – Procurar uma consultaria especializada em vistos

Eu geralmente resolvo tudo com uma boa pesquisa na internet, mas nesse caso achei sensato pedir ajuda para os universitários, e foi a melhor decisão que eu poderia ter tomado. Contratei os serviços da Top Vistos, uma consultoria especializada em vistos, e fui super bem atendida pela Shaista.

No dia marcado, fui até o escritório deles aqui no centro de Porto Alegre e expliquei tudo sobre a minha situação profissional. Sou jornalista e social media de maneira independente, com empresa registrada há pouco tempo, nunca declarei IR da empresa, não tenho conta bancária da empresa, nada. Estava bem preocupada com isso.

A Shaista me deu a orientação correta: levar o máximo de documentos que comprovem meu vínculo com meus clientes, cartas, recibos, extratos bancários. E também foi ótima em me orientar sobre o que NÃO falar: uma das empresas que eu atendo, por exemplo, é americana. Ela achou melhor não mencionar esse fato, pois o cônsul poderia pensar que eu estava interessada em ir para os Estados Unidos trabalhar. Também disse que é melhor não mencionar o fato de já ter a passagem comprada, que eles podem achar presunção da nossa parte.

No final da minha conversa com a Shaista, saí de lá com uma pastinha com todos os documentos organizados, uma listinha de outros documentos pra providenciar, DS-160 preenchido e enviado, data da ida ao CASV marcada e entrevista no consulado americano em São Paulo marcada também.

O custo da consultoria na época que fui era de R$ 210,00 – e garanto que é dinheiro bem gasto, especialmente para quem se sente inseguro com o processo. Os contatos da Top Vistos você encontra no site deles: http://www.topvistos.com.br/

Passo 2 – Ir ao CASV (Centro de Atendimento ao Solicitante de Visto)

O gélido CASV em Porto Alegre (foto: Sul21)
O gélido CASV em Porto Alegre (foto: Sul21)

Passadas as festas de fim de ano, chegou a hora de prosseguir com a solicitação do visto. Felizmente, Porto Alegre agora conta com uma unidade do Centro de Atendimento ao Solicitante do Visto, que me permitiu tirar a foto e as digitais por aqui mesmo.

O CASV fica na Carlos Gomes com a Bagé, em um prédio pelo qual eu passei milhões de vezes e jamais imaginei que fosse um órgão do governo americano. Levei todos os documentos solicitados (páginas de confirmação, passaporte, documento de identidade), desliguei o celular e fui. Aí aconteceu o engraçado, a moça que me revistou na entrada encontrou um isqueiro dentro da minha bolsa e disse que eu não poderia entrar com ele. Perguntei o que podia fazer com ele e ela respondeu:

– Não posso dar sugestões sobre o que fazer com o material.

Perguntei se tinha um lixo pra jogar fora, mesma resposta. Perguntei se podia ir na rua jogar fora, mesma resposta. Ela mesma estava achando graça da situação, então fui para a rua e joguei em uma lixeira. Na volta, ela pediu desculpas por ter que me revistar de novo.

E aí aconteceu outra coisa engraçada.

A moça da recepção do CASV era ninguém menos que uma ex-colega de faculdade. E foi tão bom encontrar uma carinha conhecida naquele ambiente tão frio, receber um abraço e um desejo de boa sorte na entrevista. Interpretei como um sinal de boa sorte!

Depois disso, o atendimento no CASV é rápido. O local estava vazio, então mesmo chegando meia hora antes fui atendida imediatamente. É sentar, olhar para a câmera, e tirar as digitais. O moço colou um adesivo no meu passaporte com um código de barras e a sigla P/R (fiquei super curiosa pra saber o que significa), deixou tudo dobradinho e me deu um papelzinho com as instruções para o consulado.

Passo 3 – Entrevista no consulado

Primeira fila na entrada do consulado americano em São Paulo
Primeira fila na entrada do consulado americano em São Paulo

Passado o fim de semana, embarquei para São Paulo. Cheguei com um dia de antecedência e me hospedei no hotel Blue Tree Morumbi (review aqui em breve), bem pertinho do consulado. E aí me dei um dia de rainha pra chegar bem tranquila no outro dia pra entrevista: fui no outlet da MAC que era ali perto, fiz umas comprinhas no shopping, fiz as unhas, tomei um banho delícia. Mas mesmo assim não consegui dormir muito bem… hehehehe

No outro dia, acordei cedo, tomei café da manhã, e peguei um táxi rumo ao Consulado. Não levei absolutamente nada, só a pasta com os documentos, o cartão do hotel e dinheiro para o táxi de ida e volta. Na chegada, tem bastante gente abordando o pessoal que chega para a entrevista, mas lembrei de outra orientação da Shaista: tem um monte de malandro que pede pra revisar os documentos, inventam que faltam materiais e cobram os olhos da cara pra imprimir coisas que não são necessárias. Se alguém precisar, também é possível guardar as coisas ali pela frente, tem vários guarda-volumes.

Como eu estava com os documentos todos em ordem e não precisava guardar nada, fui direto para o Consulado. Não tinha fila no lado de fora, então foi tranquilo. Passei por duas verificações de documentos, pela revista bem rigorosa e fui para o local da entrevista. O lugar é tipo um galpão, com centenas de pessoas de pé na fila, e alguns guichês onde os cônsuls entrevistam os solicitantes.

A fila foi bem demorada, e aqui recomendo que você vá vestido e calçado confortavelmente. Eu já estava sentindo bastante dor no pé, e minha entrevista demorou quase uma hora pra acontecer. Você fica vendo as outras pessoas sendo entrevistadas, fica imaginando se tiveram o visto aprovado ou não… é meio enlouquecedor.

Finalmente me colocaram na fila de um guichê, com duas pessoas na minha frente, e rapidamente fui atendida pela consulesa. O diálogo foi o seguinte:

– Quando você tirou seu visto anterior?

– 1993

– Qual sua profissão?

– Sou jornalista e empresária

– O que você faz na sua empresa?

– Dou consultoria em redes sociais e produção de eventos.

– Com quem você mora?

– Com minha mãe e meus dois filhos.

– Costuma viajar para o Exterior?

– Sim, visito a Europa e América Latina com frequência.

– Seu visto foi aprovado.

E aí eu saí da cabine assim:

via GIPHY

Rápido desse jeito! Toda essa preparação, e ela não pediu um mísero documento. Saí de lá feliz da vida, e três dias depois o meu passaporte chegou aqui em Porto Alegre.

Então, minhas dicas são: estejam preparados, fiquem calmos, e não tenham medo do bicho papão. Os Estados Unidos nos querem como turistas, e o único motivo pra negarem vistos é quando desconfiam que você quer ser imigrante ilegal. Se você tem vínculos com o Brasil, pode ficar tranquilo e se jogar. Leve todos os documentos que eles possam vir a pedir, e boa sorte!

E podem aguardar, em breve muitos posts sobre a terra do Tio Sam por aqui! 🙂

63 thoughts on “Visto americano para autônomos: nossa experiência

  1. Olá, você poderia me ajudar? É o meu primeiro visto, agendei a primeira etapa do visto no CASV em Porto Alegre para o dia 07/08/2016 e a entrevista no consulado em Brasília para o dia 08/08/2016. A minha dúvida é a seguinte: o passaporte fica retido no CASV em Porto Alegre? Posso agendar a entrevista no consulado para o outro dia em Brasília? Se o passaporte ficar retido no CASV em Porto Alegre, como vou fazer a entrevista em Brasília sem o passaporte?
    Obrigada!

    1. Oi Raquel, tudo bem?

      Não se preocupa, o passaporte não fica retido no CASV. Eles só verificam, tiram sua foto e digitais, e te devolvem com o adesivo colado na capa do passaporte. Vai dar tudo certo!

      Beijo,

  2. Gisele, ainda assim N compreendi quais foram os documentos que vc levou para comprovar sua renda. Cm autónoma vc fez decore? Levou extratos bancários?

    1. Oi Luane

      Como ainda não tinha declarado IR, levei extratos bancários e comprovantes de pagamentos dos meus clientes. Mas não pediram pra ver nada no final das contas.

      Abraço!

  3. Ola Gisele! Sou arquiteta autonoma, quero ir a orlando em setembro. ja fiz a ds160 e agendei minha entrevista aqui no Rio. Estou em uniao estavel, tenho o imposto de renda, mas normalmente nao tenho muita movimentação bancaria. Coloquei q minha viagem seria custeada pelo meu parceiro, mas sera paga pelos dois. Voce acha necessario uma declaração de um contador comprovando minha renda? Será q havera problema?

    1. Oi Mariana!

      Minha opinião: quanto mais documentos e comprovantes de renda na hora da entrevista, mais segura você vai estar. Eu levaria.

      Lembrando que não sou especialista, caso você ainda se sinta insegura, recomendo que procure uma assessoria.

      Abraço, boa viagem!

  4. Oi Gisele, confesso que meu coração acelerou quando li esse relato, me imaginei nesse momento, rs. Mas queria saber de você que mesmo eu não trabalhando, mas cursando faculdade tenho chance de ter meu visto de turista? Se você tem mais ou menos noção do que me perguntarão? E meu namorado está desempregado, mas se ele estiver fazendo algum curso aqui e matriculado em escola de ensino médio conta como vinculos no Brasil?!
    Obrigada.

    1. Oi Karine, tudo bem?
      Sim, é bem emocionante… hahahaha. Ainda mais que era uma viagem muito especial pra mim, já estava com tudo comprado, enfim. Então, sobre o teu caso específico (lembrando que eu não sou profissional nem especialista, vou dizer isso baseado nas dicas que recebi), acho importante que vocês não digam que vão viajar juntos, ou a imigração pode entender como um casal indo tentar a vida nos EUA. Como vocês são estudantes e não trabalham, têm que comprovar que terão dinheiro para viajar. No próprio formulário será perguntado quem estará patrocinando a viagem, então é importante que vocês digam que os pais pagarão e levem os comprovantes deles (declaração de imposto de renda, extrato bancário, certificado de que possuem casa, carro, etc). Quanto às perguntas, é impossível prever.

      Beijo, boa sorte!

  5. Olá, gostaria de tirar uma dúvida. Você é autônoma registrada pelo MEI? Estou na busca do visto americano e também sou autônoma

      1. Oi Gisele. Tenho uma dúvida, não sei se pode me ajudar. Também sou MEI, na hora de preencher a DS160 e descrever a profissão, você colocou empresária? Micro-empresária? Como fez?

        1. Oi Ana! Como eu fiz com o auxílio da assessoria, foram eles que preencheram meu formulário. Mas a orientação para a entrevista, caso perguntassem minha profissão, era dizer que sou jornalista e empresária.

          Abraço, boa sorte!

  6. Oi boa noite !! trabalho em uma multinacional sou formado em técnico em química e vários outros cursos de qualificacaoes e minha esposa ela é MEI vcs acham que conseguiríamos o visto pelo nosso perfil levando todas as considerações e já que minha esposa e autónoma, obrigado .

    1. Oi Raphael, tudo bem?

      Acho que vocês não teriam problemas. Não esqueçam de comprovar que têm fundos e vínculos com o Brasil.

      Abraço, boa sorte!

  7. Olá!! Estou no processo de preenchimento da ds, meu marido tem MEI, mas não fez declaração de IR esse ano, Será que levando só o extrato conseguimos comprovar renda? O que acha?? Bjs

    1. Acho que vale tentar! Deixem uma reserva bem generosa no extrato e na poupança, pra mostrar que vocês têm plenas condições de se manter durante a viagem.

      Abraço, boa sorte!

  8. Oi Gisele, já li seu post umas 20 vezes. Queria saber se você consegue me dar uma luz.
    Sou autônoma, trabalho com tatuagem e tenho 25 anos. Minha faculdade eu tranquei há 3 anos. Não sou casada, não tenho filhos e não trabalho com carteira assinada.
    Estou querendo viajar pra passar as férias, quero ir pra Flórida. Porém tô com um medo tremendo de ter o visto negado por conta disso tudo acima. Apesar de não querer ir pra lá pra morar, não sei como comprovar algum vínculo com o Brasil, para que eles acreditem nisso. Pensei em fazer o MEI, já que é uma boa pra mim tanto agora quanto futuramente. Minha pergunta é:
    1) Fazendo o MEI, com quanto tempo você me recomenda pra tentar tirar o visto?
    2) o MEI é uma forma de mostrar que você tem vínculo com o Brasil?
    3) Eu recebo em mãos, tenho uma conta no banco, tenho conta poupança e corrente. Mas raramente depósito algo, depósito dinheiro na conta corrente só pra pagar o carro que eu financiei, 9 seguro e o cartão de crédito. E na conta poupança eu depósito mas não tenho um dinheiro alto ainda pra fazer uma viagem. Mas tenho uma renda mensal de 4 mil a 5 mil reais. Como eu posso comprovar isso?
    4) você acha que eu tenho mais chances se minha mãe ou meu pai bancassem a minha viagem?

    1. Oi Luá!

      Como eu disse no post, na hora H não me pediram nada. Mas faça a MEI o quanto antes, já ajuda ter o comprovante de que você tem a sua microempresa por aqui. Uma coisa que me recomendaram na consultoria do visto era levar o extrato bancário dos últimos três meses para comprovar a minha renda. Quem sabe você se organizar para fazer depósitos durante um período pra mostrar um extrato bem gordinho no consulado?

      Beijo, boa sorte!

  9. Olá querida. Seu depoimento me deu um pouco mais de alívio. Planejo ir ao EUA ano que vem, tbm sou autônoma, porém iniciei esse ano esse meu trabalho e ainda não possuo recibos nem nada. Pretendo registrar a minha empresa. Sou designer e trabalho com ilustrações, e tbm sou caligrafista, presto serviços em restaurantes, eventos etc com giz. Você acha que com pouco tempo de comprovação de renda (pq irei providenciar esses recibos e extratos o mais cedo possível) eu consigo tirar o visto? Tenho um filho, porém não tenho casa própria e nem carro 😐.

    1. Oi Alice!

      Acho que providenciando esses comprovantes o quanto antes você não deverá ter problemas.

      Beijo,

  10. Olá Gisele! Teu post foi como uma luz pra mim. Mas ainda tenho mto receio do visto ser negado. Tenho 26 anos, também sou autônoma, não tenho filhos, não sou casada e estou querendo viajar sozinha. Nunca viajei para fora do país, não declaro imposto de renda e minha movimentação bancária é relativamente boa mas sem comprovação. Poderia colocar meus pais como pagantes, mas não significaria vinculo forte. Tenho carro e um financiamento no meu nome, seriam suficientes?

    1. Oi Letícia!

      Que bom que o post ajudou, pelo menos um pouquinho 🙂

      Acho que o carro e o financiamento são de grande ajuda no processo do visto, com certeza. Eu, no seu lugar, tentaria levar mais alguma coisa pra tranquilizar o pessoal do consulado. Que tal começar uma poupancinha e concentrar as movimentações financeiras na sua conta corrente? Me recomendaram levar os extratos bancários dos últimos três meses, acho que pode te ajudar. Se tiver MEI também ajuda.

      Abraço, boa sorte!

  11. Gisele,

    Obrigada pelo post. Tenho uma dúvida em relação ao preenchimento da DS-160.
    Aonde vc colocou que era autônoma? Ou não precisa? Vc colocou só onome da empresa?
    Outra dúvida, vc colocou o valor que ganhava mensal?
    Sou Fisioterapeuta autônoma.

    Obrigada

    1. Oi Rosana!

      Coloquei que sou jornalista e empresária no DS-160. Coloquei o valor que recebo mensalmente sim, e levei os devidos comprovantes (que nem pediram, mas enfim, é bom ter em mãos).

      Abraço, boa sorte!

  12. Olá, Gisele, tudo bem? Me vi na mesma situação, porque sou jornalista e também presto serviço de mídias sociais. A minha questão é que, como não há uma categoria específica disso no MEI, minha categoria é Edição de Livros e coloquei essa como a minha ocupação no formulário. Agora melhor manter só isso e nem falar de redes sociais, certo?

    Sei que não és especializada, mas sua opinião já vai valer para me deixar mais tranquila 🙂

    1. Oi Paula!

      É a mesma categoria em que me inscrevi no MEI. Olha, o pessoal da assessoria me orientou a dizer que sou jornalista e empresária na entrevista, foi o que fiz. No desembarque nos EUA também me perguntaram, disse que era jornalista e ficaram bem interessados pra saber em que editoria eu escrevia… hahahaha. Disse que trabalhava com redes sociais e ficou tudo bem. Aho que o mais importante é não mentir, pois eles têm meios de descobrir, né?

      Abraço, boa sorte! 🙂

  13. Oieee, quero tirar meu visto Americano mais pelo meu salário não preciso declarer IR ainda… trabalho há 4 anos em uma multinacional… fui na consultoria de vistos e a moça disse que o primeiro documento que eu teria que ter seria a declaração de IR… agora estou na dúvida se tento ou não… pensei em colocar minha mãe como subsidiária, mais ela tem empresa mais não consegue comprovar por ser autônoma… fui pra Europa em 2016…

    1. Oi Jessica

      Você tem que comprovar renda e vínculos com o Brasil, vai ser a primeira coisa que terá que fazer. Quem sabe você procura um contador e vê se não dá pra fazer um comprovante?

      Abraço,

  14. Oi, tudo bem?

    Sou profissional liberal (fotógrafo) pelo MEI, porém já tenho visto de turista há 2 anos. Queria saber se esse visto que tu tirou é o de turista B2 ou o L1, próprio pra empresas que pretendem investir no mercado americano.

    Aguardo retorno. Desde já obrigado!

  15. Boa tarde, coloquei no meu formulário um valor aproximado do que tiro da minha empresa mensalmente (R$ 5000,00) só que não possuo esse valor declarado no IR, pois sou sócio com minha mãe e quem declara o maior valor é ela, acha que posso ter algum problema com isso? Levarei o extrato bancário da minha empresa, possui muitas movimentações consideráveis.
    Obrigado

    1. Oi Ayslan!

      Leve o máximo de comprovantes que você puder, você terá que provar as informações que colocou no formulário.

      Abraço, boa sorte

  16. Menina parabéns :)..

    Estou eu aqui aflita, passando pela mesma situação :(,

  17. Olá Gisele, quando você foi fazer sua entrevista vc teve que comprovar renda ? Eu sou micro empreendedor individual o que vc acha que devo levar? Me ajude por favor rs

    1. Oi Ingrid, tudo bem?

      Na hora da entrevista não me pediram absolutamente nada. Mas eu levei extratos bancários, borderôs de um evento que produzo e cartas dos meus clientes, atestando que prestava serviços para eles. Leva o máximo de comprovação possível. Boa sorte!

      Abraço,

  18. Oi Gisele, estou fazendo o visto pela primeira vez e estou em dúvida sobre quais documentos levar. Poderia me dizer o que você levou na sua entrevista?

    1. Oi Felipe!

      Levei tudo… registro da empresa, extratos de conta e poupança, borderôs, diploma universitário, certidão de nascimento dos filhos, enfim, tudo que poderia comprovar meu vínculo com o Brasil. Na hora não pediram nada, mas é bom levar o máximo possível.

      Abraço, boa sorte!

  19. Olá. minha dúvida é na hora de preencher o pedido de visto para viajar. Sou freelancer, mas coloco jornalista autônoma ou profissional liberal? Obrigada!

  20. Oi boa noite , vou preencher meu formulario hoje e estou com algumaas duvidas de quais documentos levar .. Pois nao trabalho e nem estudo , tenho um filho de 8meses .. Enfim , meu avô que estara custeando a minha viagem , sera uma viagem rapida de apenas 3 dias .. o que devo levar alem da carta custeio? Preciso levar comprovante de renda ou declaracao de imposto de renda ? Aguardo retorno .. Adorei as dicas

    1. Lorena, acho interessante você levar comprovantes de renda do seu avô, como extratos de conta corrente e poupança.

      Abraço,

  21. Oi ,tenho uma tia que mora em orlando e me chamou para ir morar com ela ,vou tirar meu visto mas sou estudante aqui no brasil a unica renda que tenho e da minha avó, mas ela nao tem dinheiro em conta bancaria, entao como devo proceder.

    1. Oi Karla, tudo bem?

      Você precisa de um visto para morar, que é diferente do visto de turista. Não sei como proceder, recomendo que você procure um especialista para auxiliá-la.

      Abraço,

  22. Gisele, gostaria de tirar uma duvida, também tenho MEI, sera que esse vínculo seria o suficiente, ou precisa terá outro emprego??? Tenho imposto de renda atual e extrato de conta corrente.. quero ir a uma feira de cosméticos em New york.. desde já agradeço sua ajuda

    1. Oi Anne!

      Acho que você não deverá ter problemas. Leva o extrato bem recheado pra provar que você tem meios para custear sua viagem.

      Abraço,

  23. Gisele, boa tarde
    Desculpe te incomodar novamente, mais eu estou me batendo em relação ao que devo colocar como a renda mensal, porque meu contador está se batendo devido ao imposto de renda.. trabalho com venda de cosméticos, vendo maquiagem.. e quando vamos fazer a conta tipo a renda final seria 1,800.00.. para ser o meu salário.. só que eu ganho mais que isso.. não sei se tu tá me entendendo.. não sei também se estou explicando certo.. estou com dor de cabeça nesse imposto de renda, porém tem uma movimentação boa não conta, com saldos positivos de 9 mil.. às vezes 12 mil.. me ajude por favor..

    Obrigada

    1. Oi Anne, super entendo! A minha renda também é maior do que o declarado, até porque varia a cada mês. Enfim, declara um valor mais condizente com a realidade e leva tudo que possa comprovar renda, mesmo que não sejam documentos “oficiais”. Eu, por exemplo, levei borderôs dos eventos que produzo, mesmo que esse valor não esteja na minha declaração de imposto de renda. O importante é que o valor declarado no formulário bata com a comprovação que você vai levar no dia da entrevista – a maioria dos vistos são negados por causa dessas discrepâncias.

      Beijo, boa sorte!

  24. E quanto você colocou na parte que tem valor de renda mensal.. tipo seu rendimentos.. no formulário ds 160.. que seria seu salário??

  25. Bom dia amadas (os)!
    Um esclarecimento por favor!
    Sou engenheiro electricista e empresário duma empresa de prestação de serviços gerais, tenho um (1) escritório, onze (11) trabalhadores efectivos e três (3) carros. Como comprovar tudo quanto tenho para adquirir o visto?
    Ajudam me pela vossa experiência.

    Eng Ferreira Da Silva.

    1. Oi Ferreira, tudo bem?

      Nossa sugestão é levar registro da empresa, documento comprovando sua retirada mensal, declaração de imposto de renda e extratos bancários.

      Abraço,

  26. Oi Gisele, me tira uma dúvida por favor.. tenho 23 anos e estou fazendo faculdade e moro com minha mãe(casa própria mas no nome dela e ela não tem visto) e quem custearia minha viagem seria minha cunhada que é espanhola e tem uma renda boa e ela viajaria comigo pra LA pra passear, será que nessas minhas condições seria possível ter o visto aprovado? Já viajei pra Espanha e Portugal também, mas meu medo é deles negarem porque eu não trabalho e não tenho renda, dependo da minha mãe aqui.. Outra coisa que queria saber também é, eu tenho uma cirurgia plástica do SUS marcada pro ano que vem, isso também contaria como vínculo?? Obrigada..

    1. Oi Lita, tudo bem?

      Diz que a sua cunhada vai custear a viagem e leva os comprovantes de renda dela. Sobre a cirurgia, não sei te dizer.

      Abraço, boa sorte!

  27. Olá. Me diz e aqueles que trabalha como autônomo, não tem renda fixa, como faz?

    1. Oi Cida

      É importante comprovar renda e vínculos com o Brasil, se você não tem renda é provável que seu visto seja negado 🙁

  28. Olá Gisele
    Sou Mei e consigo declarar para o consul quanto q eu ganho apenas com a minha conta poupança com o extrato dos 3 últimos meses ou eu precisaria de uma conta corrente ?

    1. Acho que não tem necessidade de ser conta corrente, Sebastian. Leva o extrato da poupança, o importante é comprovar que tem fundos pra bancar a viagem e vínculos com o país.

      Abraço!

  29. oi messias sou automo 2 ano e4 meses sou dono tenho uma barbearia sou mei ja declarei 2015 e 2016 pelo mei pessoa juridica – e pessoa fisica eu declarei so 2016 com o meu comtador renda de 4 mil e no mei eu declarei 4.900 dai 900 e o aluquel ai ficou 4 mil renda pessoa fisica tributaveis mais medo de negado porque nao tenho moveis no meu nome vou dia 31 julho em PORTO ALEGRE

  30. Fui fazer a entrevista, eu sou MEI desde 2016 e a 3 meses estava trabalhando registrado e conciliando os 2, coloquei no formulário apenas o trabalho registrado, e a renda somente do trabalho registrado, por ser pouco tempo de registro o visto foi negado.
    Estou afim de tentar novamente, mas eu saí da empresa na qual eu estava registrado, agora estou continuando somente como MEI, alguma dica de quanto tempo esperar mais ou menos ?

    1. Oi Jefferson, tudo bem?

      Já li relatos de gente que teve o visto negado em uma semana e aprovado na outra. O cônsul vai perguntar pra você o que mudou entre uma entrevista e outra, e isso vai ser determinante para a sua aprovação. Capriche na resposta e boa sorte!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *