Utilizando apps de bate-papo/relacionamento em viagens

 

Na nossa última viagem, fomos a Buenos Aires e queríamos experimentar um pouco mais a cultura local. Como já tínhamos visitado a cidade antes, não era tão imprescindível para nós fazer o tradicional circuito turístico. Nisso, tivemos a ideia de baixar aplicativos que são geralmente destinados a relacionamentos para ver se era possível conversar com os locais, fazer amigos e saber mais sobre a realidade da cidade mesmo, além de conseguir dicas de lugares que, geralmente, só quem vive o dia a dia da cidade sabe.

 

Decidimos fazer esse teste com o Badoo, pois diferente de outros aplicativos, não é necessário dar match/like em uma pessoa para poder conversar com ela. E como nosso objetivo era conversar com as pessoas, dar match era irrelevante. Outro ponto positivo que nos levou a escolher o Badoo foi ele ser o maior app de descoberta social do mundo. Com 360 milhões de usuários no mundo, o Badoo nos deixou curiosas! Queríamos testar se ele tinha todo esse alcance todo. E não é que tinha mesmo? Fui de ônibus, e durante todo o caminho, em todas as cidades que passamos, havia gente conectada e pudemos conversar com gente legal e interessante e ir fazendo amigos por todo o caminho.

 

Conversei com bastante gente, sempre explicando que eu estava em Buenos Aires de férias e pedindo algumas dicas de coisas que fugissem do óbvio, do mais turístico, e fosse mais para o lado local, o que essas pessoas curtem fazer na cidade. Tivemos desde as dicas tradicionais: passear por San Telmo, Recoleta e Corrientes, até algumas sugestões mais locais, de restaurantes, como o La Cabrera, especialista em parrilla, mas que não conseguimos ir conferir. Claro que as conversas acabavam tomando diversas direções, e em vários casos fizemos amigos e marcamos de tomar alguma coisa, conhecer a cidade juntos.

As dicas que aproveitamos

 

Uma das dicas que aproveitamos e aprovamos foi de um restaurante em Palermo (bairro que nos hospedamos) com uma comidinha mais estilo caseira, com porções bem fartas e preço camarada: El Buen Gourmet. Localizado na rua Charcas 4063, ficava a apenas algumas quadras do nosso hostel. Comemos umas milanesas napolitanas com fritas/purê dos deuses por honestos 145 pesos argentinos (Cerca de R$ 30).

Os amigos que fizemos

Mas, como eu disse antes, o aplicativo também é de relacionamento. Então aproveitamos para encontrar pessoas, fazer amizade mesmo. Marcamos um date com Agustin, e saímos para uns drinks na região da Plaza Serrano, um local bem charmoso e movimentado de Palermo. Além de descobrir onde são servidos os mojitos mais gostosos da área, pudemos ouvir mais sobre a realidade local sob a perspectiva dos portenhos. Obviamente, também aproveitamos para pedir mais umas dicas, não só para essa viagem como para as próximas.

E, claro, a amizade não fica só para o momento. Trocamos contatos e, tenho certeza que deixamos amigos em Buenos Aires 🙂

Experiência aprovada! 👍

Em geral, utilizar o aplicativo foi uma boa ideia e nos deu dicas como a do restaurante, que tinha uma comida deliciosa, e como é pequeno e não estava na nossa rota de caminhada para o hostel, talvez nem chegaríamos a conhecer. Além de ter possibilitado fazer amizade com os portenhos e falar e descobrir mais sobre a cidade, o que é muito mais bacana do que só bater ponto nos locais turísticos mais manjados. Acredito que vamos adotar essa prática em outras viagens para aproveitar mais a visão dos locais sobre o que visitar ou onde comer.

*publieditorial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *