Londres: minha cidade alma gêmea

londres
Sabe na época da escola quando cada dia a gente se apaixonava por um(a) coleguinha diferente? Eu me sinto assim com cidades. Toda cidade nova que conheço me apaixono e acho que é o lugar onde quero morar ou que ainda quero voltar mil vezes.  Mas existe uma cidade que é a minha constante: Londres. 

A paixão iniciou de longe, ainda lá na década de 90, muito influenciada por 1) aquela veia meio rebelde de todo adolescente que quer ir contra tudo e todos. Eu sempre tive esse lado meio do contra. Aí enquanto todos estavam usando camisetas, bolsas, carteiras, sapatos e uma infinidades de itens com a bandeira dos EUA, eu gritava Save The Queen. E 2) pelo British Pop, mas precisamente por minha paixão fulminante por Spice Girls.

Então, na verdade, desde os meus 13 anos eu venho alimentando essa paixão platônica pela terra (e a língua) da rainha. Quando eu me imaginava após o colégio era sempre indo fazer intercâmbio em Londres e aproveitando tudo que a cidade tem a oferecer. Eu tinha na época uma queda pela cena underground, mesmo sem muita ideia do que significava. 13 anos, galera.

Eu fiz meu sonhado intercâmbio, mas foi na Irlanda. Porém, assim, tão pertinho eu não deixaria de ir conhecer meu amor de adolescência né? Quando se cria uma expectativa muito grande sobre alguma coisa, as chances de nos decepcionarmos é imensa, não é mesmo? Mas o amor é inexplicável.

londres
“Quando um homem está cansado de Londres, ele está cansado da vida; pois há em Londres tudo que a vida pode trazer”

Eu aterrissei em Luton numa quinta-feira à noite em abril de 2011 e peguei um ônibus em direção a Londres. Passei o tempo todo tipo cachorrinho, só de olho na janela. Quando eu me dei conta que já esta em Londres, meu coração acelerou, os olhos se encheram de lágrimas, tudo ficou em câmera lenta e eu tenho quase certeza que tocou She: eu finalmente tinha me encontrado com a minha alma gêmea.

londres
Pensem em alguém feliz!

Mas falando sério. É um sentimento realmente muito forte e inexplicável. Eu juro que tento, mas geralmente as pessoas me olham com cara de WTF?? A não ser que seja outro apaixonado por Londres. Sim, minha alma gêmea é amante de muitos. E eu nem me importo, ela tem esse jeitinho acolhedor. E antes que alguém possa vir e dizer que não é bem assim, que Londres tem os seus problemas e blábláblá Nunca ouviram dizer que o amor é cego?

Pode ser as ruas, a mistura do velho e do novo, a vida cultural, pode ser o West Wend, Camdem Town, Portobello Road ou Piccadilly Circus. Pode ser a diversidade de pessoas, o tube ou a Rainha. Ou ainda tudo isso.  O tempo que já fiquei em Londres dá para contar nos dedos, mas ainda sim a sensação de pertencer, de fato, a algum lugar eu só senti lá. Nem mesmo em casa. Na segunda vez que me despedi de Londres, há quase dois anos, me senti sendo separada forçadamente do amor da minha vida. Era como estar dizendo adeus a alguém da minha família. Mas tenho certeza que foi apenas um Até logo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *